Página inicialGruposDiscussãoExplorarZeitgeist
Pesquise No Site
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

POURQUOI J AI MANGE MON PERE de ROY LEWIS
Carregando...

POURQUOI J AI MANGE MON PERE (original: 1960; edição: 2000)

de ROY LEWIS

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaMenções
1,0232515,548 (3.69)20
"The Evolution Man is a novel about your basic upwardly mobile Pleistocene cave family - as they come down from trees (except for Uncle Vanya, who insists that it's the stupidest thing man ever did), dislodge a family of bears from the best cave in the neighborhood, and widen their digestive horizons to keep down things not only disgusting but disagreeable as well. Life cannot be all snails and sweetbreads." "Recorded here is the correct version of the invention of fire, the first intellectual argument about shadows, and an eye-witness account of the first human courtship."--BOOK JACKET.Title Summary field provided by Blackwell North America, Inc. All Rights Reserved… (mais)
Membro:Scrambledspirit
Título:POURQUOI J AI MANGE MON PERE
Autores:ROY LEWIS
Informação:Pocket (2000), Poche, 182 pages
Coleções:Para ler
Avaliação:
Etiquetas:Nenhum(a)

Work Information

Evolution Man: Or, How I Ate My Father de Roy Lewis (1960)

Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Veja também 20 menções

Inglês (15)  Francês (4)  Italiano (3)  Espanhol (2)  Alemão (1)  Todos os idiomas (25)
Mostrando 1-5 de 25 (seguinte | mostrar todas)
ok, di tutto ciò che mi aspettavo da questo libro, ho ottenuto solo una parte: pensavo di spanciarmi dalle risate, invece ho sorriso a denti stretti, pensavo di trovare tanta rovente satira sulla società moderna attraverso un racconto che parlava di cavernicoli, invece ne ho trovato solo una parte diluita nella smania dell'autore di essere scientificamente accurato. Insomma, leggere di cavernicoli che affrontano i loro problemi con la consapevolezza di uomini moderni è abbastanza spassoso, ma non così spassoso come mi sarei aspettato. Inoltre ho storto il naso per un'altra cosa: questo libro è la fiera della misoginia e del maschilismo, le donne, dove non sono stupide e capaci solo di cucinare, sono manipolatrici e arriviste (le solite accuse che si fanno alle donne) e il concetto è un po' troppo insistito per non far sorgere il sospetto che non si tratti solo di comicità...mah!
( )
  JoeProtagoras | Jan 28, 2021 |
Very satisfying, loved the blend of Pleistocene and modern sensibilities, the humour was just right for me. I grew up in the 60s and I have no idea how I managed to miss hearing about this book until lent it by friend this month. I notice most of the reviews on this site are in various other languages although the book is available in english, and it does appear on the neglected books website so as this was so good I shall explore what else is suggested there. ( )
  Ma_Washigeri | Jan 23, 2021 |
> Babelio : https://www.librarything.fr/work/92300/book/165016044

> POURQUOI J'AI MANGÉ MON PÈRE, de Roy Lewis (Roman traduit de l’anglais par Vercors et Rita Barisse - Préface de Vercors.)
Ce livre n’est pas banal : voici les confidences de notre plus lointain ancêtre, celui qui avait délaissé la condition de primate, pour devenir homo sapiens. Si « préhistoriquement », cette transformation a pris un certain temps, l’auteur s’est amusé, pour notre grand plaisir, à la télescoper sur deux générations, celle du père, Edouard, qui subira le triste sort suggéré par le titre et celle du fils, Ernest, qui s’abandonne, au cours de ces pages, à une analyse justificative de son geste.
N’allons surtout pas l’accuser de cannibalisme. Ce mot, par trop vulgaire, n’apparaît jamais. Ernest est, avant la lettre, un philosophe ; il a une conscience parfaitement claire de vivre un grand moment de l’évolution de la future humanité dont il possède déjà les réminiscences culturelles, et la horde dont il nous décrit la vie quotidienne fait l’expérience de nos mésaventures répétitives : conflits de générations, entreprises hasardeuses, autoritaires, hypocrisie, emballements, feintes politiques, égoïsme, traîtrise, témérité, inventions géniales, principes auxquels on s’accroche pour mieux les bousculer quand ils sont gênants.
L’auteur a su créer des situations hautement comiques, où l’absurdité historique côtoie la réflexion sérieuse, où les gags s’enrichissent de jeux de mots et d’allusions imprévues à notre époque. Le traducteur a préservé la vitalité et la clarté d’un texte humoristique et dense. On le lit une première fois en éclatant de rire à chaque page ; on le relit en savourant. Chaque personnage est individualisé : oncle Veniat, qui refuse la modernité tout en jouant les parasites, oncle Ian, le voyageur, la série des tantes (Gudule, Amélie, Barbe et les autres), la rusée Caroline chérie, les trois frères, compagnons d’Ernest (Oswald le chasseur, William le dompteur, Alexandre l’artiste) et surtout Edouard qui, en l’espace de quelques mois, découvre le feu des volcans, celui des silex frottés et, apprenti sorcier, joue un peu trop avec sa découverte mais du même coup, invente le coupe-feu.
La dimension du rire permet au lecteur de prendre avec la condition humaine, une distance qui aiguise l’esprit critique, sans aucune amertume car le dérisoire est toujours nuancé de tendresse.
Un livre à lire, et à offrir aux jeunes de tous âges, surtout s’ils ont la tête bien pleine. Édition Actes SUD, février 90 - Format guide 21,8 x 11,6 162 pages Gilberte PROCUREUR --Viniyoga, Septembre 1994
  Joop-le-philosophe | Jan 28, 2019 |
Quando inzierete a leggere questo libro assicuratevi di essere soli, evitate di leggerlo in luoghi pubblici tipo metropolitana, autobus o caffetterie. Queste piccole precauzioni vi saranno utili a non fare la figura dei matti quando leggendo il libro comincerete inevitabilmente a sganasciarvi dalle risate. Assicurato. Quindi, seppur non indicato sotto l'ombrellone o in aereo è l'idelae durante il fine settimana di relax al mare, in montagna o al lago. ( )
  Maistrack | May 28, 2016 |
Veramente simpatico e divertente ( )
  Edoxide | Apr 6, 2016 |
Mostrando 1-5 de 25 (seguinte | mostrar todas)
sem resenhas | adicionar uma resenha

» Adicionar outros autores (13 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Roy Lewisautor principaltodas as ediçõescalculado
Picasso, PabloArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Youll, PaulArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Pertence à série publicada

Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Título original
Títulos alternativos
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Lugares importantes
Informação do Conhecimento Comum em Italiano. Edite para a localizar na sua língua.
Eventos importantes
Filmes relacionados
Premiações
Epígrafe
Dedicatória
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
To my darling daughters, Dr Theodore Reik, and some others
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
When the winds blew strongly from the North, bringing an icy reminder that the great ice-cap was still advancing, we used to pile all our stores of brushwood and broken trees in front of the cave, make a really roaring fire, and tell ourselves that however far south it came this time, even in Africa, we could meet it and beat it.
Citações
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Aviso de desambiguação
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Idioma original
Informação do Conhecimento Comum em Italiano. Edite para a localizar na sua língua.
CDD/MDS canônico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

"The Evolution Man is a novel about your basic upwardly mobile Pleistocene cave family - as they come down from trees (except for Uncle Vanya, who insists that it's the stupidest thing man ever did), dislodge a family of bears from the best cave in the neighborhood, and widen their digestive horizons to keep down things not only disgusting but disagreeable as well. Life cannot be all snails and sweetbreads." "Recorded here is the correct version of the invention of fire, the first intellectual argument about shadows, and an eye-witness account of the first human courtship."--BOOK JACKET.Title Summary field provided by Blackwell North America, Inc. All Rights Reserved

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Capas populares

Links rápidos

Avaliação

Média: (3.69)
0.5 1
1 1
1.5 4
2 14
2.5 7
3 59
3.5 15
4 76
4.5 8
5 46

É você?

Torne-se um autor do LibraryThing.

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 164,588,937 livros! | Barra superior: Sempre visível