Página inicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquise No Site
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

Carregando...

Welcome to the Monkey House (1968)

de Kurt Vonnegut

Outros autores: Veja a seção outros autores.

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaMenções
6,405591,121 (4)110
A collection of twenty-five short works by the American author written between 1950 and 1968 and originally printed in a wide range of publications including "The Atlantic Monthly," "Esquire," and "Ladies' Home Journal."
  1. 00
    CivilWarLand in Bad Decline de George Saunders (KafkaMaze)
    KafkaMaze: Very strong mix of satire and science fiction, much like Vonnegut. Mixes in some magical realism as well. Saunders cites Vonnegut as one of his two major influences.
Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Veja também 110 menções

Mostrando 1-5 de 58 (seguinte | mostrar todas)
Forgot how great these stories are--still feel timely. Will have to recommend them to the kids, to go along with their 20th century history. ( )
  mullinstreetzoo | Feb 12, 2021 |
Kurt Vonnegut is the only author where, when I finish his books, I say "How neat." & "What was that" in equal measure. ( )
  Smokler | Jan 3, 2021 |
Oh. ( )
  SethBowman | Jul 31, 2020 |
"Harrison Bergeron" (1961): 9
- Leave it to Vonnegut to complicate the classic, easily replicable libertarian anti-communalism sf of postwar America. In many ways, I'm sympathetic to complaints that we're reading too much into certain tropes -- esp. as they appear in the work of those producing for pulp-like environments -- of genre fiction, and especially so when it comes to near-future stories like these: both the premise of "equality" and the "logical" steps towards the (intentional or not) misapplication of that principle are just too easy for the on-the-clock writer to bypass. They're readymade for dystopia. The piece here: future world enforces equality (interestingly, it's not explicitly material [although, I'm sure if we were to extrapolate this world outwards, that would be implied], but instead focused on intelligence and personal advantage [strength, beauty, talent, etc.]) through intrusive measures (masks on the beautiful, brain blocks on the smart, etc.), until one Exquisite boy one day escapes and uses his advantages for himself, eventually being murdered for it, all while his parents watch on the television, not really sure of what they're watching in their enforced stupidity (although, funnily, I think the mother is introduced as just being this actually stupid?! haha come on). The story works, however, (in addition to just the prosaic beauty of V.'s prose) because Vonnegut out-thinks his template. He takes a chock-a-block script -- one that's simply begging for both an individualized ending and ideology -- and he underscores the ferocity of both systems at play here--at the excesses of the handicapped and the handicapper. What the Handicapper General is disrupting is not the natural human flowering and bonhomie and care for the commonweal inherent to any individualized flowering, but actually the drive to possess and dominate. AND, to complicate things even more, humanity's more benign, beautiful impulses are also contained within those very totalitarian impulses (as in Harrison's urge to dance, love, and make music). Good stuff. Oh, and that he happened to make him both 7 feet tall and 14 is just hilarious.

"Where I Live" (1964): 7.25
- An ambling, digressive little story, in which V. likely overestimates the ability of his plain-spoken queerness to push one past the nonthingness otherwise on display. And he probably sees the lapse from narrative into that nothingness as a clever little litfictional sleight of hand, whereas it’s actually unremarkable on account of the bland description it’s couched within.

"Who Am I This Time" (1961): 6.5
- Very minor. Little V.ness on display here, and what there is does little to salvage the rest.
  Ebenmaessiger | Oct 6, 2019 |
Kurt V. gives us a bunch of short stories - humorous, cutting, with a moralistic point to most that's hard to miss! ( )
  addunn3 | Sep 6, 2019 |
Mostrando 1-5 de 58 (seguinte | mostrar todas)
sem resenhas | adicionar uma resenha

» Adicionar outros autores (30 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Vonnegut, Kurtautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Greif, GeneArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Sumner, Gregory D.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Pertence à série publicada

Está contido em

Contém

Tem a adaptação

Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Lugares importantes
Eventos importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Premiações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
"Beware of all enterprises
that require new clothes."—Thoreau
Dedicatória
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
For
Knox Burger
—Ten days older than I am.
He has been a very good
father to me.
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Here it is, a retrospective exhibition of the shorter works of Kurt Vonnegut, Jr.—and Vonnegut is still very much with us, and I am still very much Vonnegut.
Citações
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Aviso de desambiguação
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Please do not combine this work with the Dutch works entitled "Welkom op de apenrots" and "Lange wandeling naar de eeuwigheid". The Dutch works comprise only selections of the stories in the English original.
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Idioma original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
CDD/MDS canônico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (1)

A collection of twenty-five short works by the American author written between 1950 and 1968 and originally printed in a wide range of publications including "The Atlantic Monthly," "Esquire," and "Ladies' Home Journal."

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Links rápidos

Capas populares

Avaliação

Média: (4)
0.5
1 4
1.5 4
2 43
2.5 7
3 257
3.5 78
4 524
4.5 61
5 385

É você?

Torne-se um autor do LibraryThing.

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 157,689,656 livros! | Barra superior: Sempre visível