Página inicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquise No Site
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

Carregando...

Rumo ao Farol (1927)

de Virginia Woolf

Outros autores: Veja a seção outros autores.

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaMenções
15,345238263 (3.88)750
To the Lighthouseis at once a vivid impressionist depiction of a family holiday, and a meditation on a marriage, on parenthood and childhood, on grief, tyranny and bitterness. Its use of stream of consciousness, reminiscence and shifting perspectives, give the novel an intimate, poetic essence, and at the time of publication in 1927 it represented an utter rejection of Victorian and Edwardian literary values.… (mais)
Romans (30)
Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Veja também 750 menções

Inglês (217)  Holandês (4)  Catalão (3)  Italiano (3)  Espanhol (3)  Sueco (2)  Dinamarquês (1)  Norueguês (1)  Hebraico (1)  Francês (1)  Húngaro (1)  Todos os idiomas (237)
Mostrando 1-5 de 237 (seguinte | mostrar todas)
The middle chapter (Time Passes), in which light moves through a room when we're not there, is what did it for me. The way someone can transform before us simply as we move and walk and be. I didn't realize words could do what they did here for Woolf. ( )
  poirotketchup | Mar 18, 2021 |
NA
  pszolovits | Feb 3, 2021 |
"It was a miserable machine, an inefficient machine, she thought, the human apparatus for painting or feeling; it always broke down at the critical moment."

Virginia Woolf's To The Lighthouse is different and brilliantly so. It demands your full attention and each of your emotion. It knocks on your door, persuades you to let a room to it in your mind, set a comfortable bed, and welcome its stay then embrace its hovering presence once it decides to leave. It is a wonderfully-crafted introspection that broods and muses within different lives link — the comings and goings of the ideas, the rushing and disappearing of the waves by the shore — by a Lighthouse (Woolf wrote the word 'Lighthouse' as a proper noun), by a woman who seemingly serves the same purpose: to guide, to enlighten, to comfort.

The wrath and peace of perception tear this novel apart and put it back together. Memories and thoughts are hives the characters protect and destruct their selves in over and over again. The ordinary is extraordinary, the extraordinary is ordinary. There is no lesson here. Death does not change anything although it changes everything. Life continues to flow, to happen and it is grief and absence that painstakingly, persistently impact these characters, these people we may find a common ground with. Nothing is left out with Woolf be it a glance, a touch, a gesture, a sigh; their weight is conspicuous; they lose, contradict, and fight themselves in this eminent passage of time.

"She had a sense of being past everything, through everything, out of everything, as she helped the soup, as if there was an eddy — there — and one could be in it, or one could be out of it, and she was out of it." (p94)

There is no doubt that the mind flies inside the paragraphs of To The Lighthouse, it traverses every nook and corner, sweeps its every floor of thought and opens a window to an array of interpretation. It lingers on regret, yearning, anger, and affinity. Here, nothing happens yet everything does. It is a loyal servant of mood rather than a narrative pleaser. It is a food for thought, a home for sentiments. It nudges to question and to ponder on women's societal roles, demands of marriage, a sense of career failure and dissatisfaction, and most importantly life's purpose whilst stimulating the smell of childhood and sketching the complexities of adult relationships accompanied by a bleak summer backdrop.

After closing this book at once, I knew that it doesn't end there. It will show itself, every now and then, on empty plates, busy harbours, passing empty moments, words on random book pages, some thoughts I thread, some thoughts that insist, and some people I part with and encounter.

"Sitting alone (for Nancy went out again) among the clean cups at the long table she felt cut off from other people, and able only to go on watching asking, wondering. The house, the place, the morning, all seemed strangers to her. She had no attachment here, she felt, no relations with it, anything might happen, and whatever did happen, a step outside, a voice calling ('It's not in the cupboard, it's on the landing,' someone cried), was a question, as if the link that usually bound things together had been cut, and they floated up here, down there, off, anyhow. How aimless it was, how chaotic, how unreal it was, she thought, looking at her empty coffee cup." ( )
  lethalmauve | Jan 25, 2021 |
I found this really enjoyable but really heavy going.
It's all twisted and mixed about and layered and zig-zagging and I found myself unable to keep up with what I was reading. Not something to read when you're tired or ill or hungover.

I think it would easily get 6 stars from me if I read it again when I have lots of energy, time and wakefullness, so it's on the to try to read again pile. ( )
  mjhunt | Jan 22, 2021 |
Al Faro (1927) narra los recuerdos y vivencias de una familia, los Ramsay, en la isla de Skye, en las Hébridas, dos días distantes en el tiempo. La preparación de una excursión familiar al faro de la isla en momentos y situaciones muy diferentes debido al transcurso de los años es el desencadenantede una reflexión introspectiva sobre la fugacidad de la vida, la huella de los recuerdos infantiles, el desencanto y otros sentimientos que generan las pérdidas inherentes al paso del tiempo. Y, naturalmente, las limitaciones sociales y personales que la sociedad victoriana impone a la mujer vuelven a ser un foco de atención en una novela en la que los personajes femeninos se cuestionan por qué no pueden tener voz, tomar decisiones y decidir su futuro.

Para Virginia Woolf, Al Faro era su mejor obra, lo que público y crítica supieron reconocer, por la originalidad y fuerza de su narrativa. Junto con La señora Dalloway, ha sido considerada como una de las grandes obras maestras de la literatura del siglo xx en lengua inglesa.
  bibliotecayamaguchi | Dec 21, 2020 |
Mostrando 1-5 de 237 (seguinte | mostrar todas)
How was it that, this time, everything in the book fell so completely into place? How could I have missed it - above all, the patterns, the artistry - the first time through? How could I have missed the resonance of Mr Ramsay's Tennyson quotation, coming as it does like a prophecy of the first world war? How could I not have grasped that the person painting and the one writing were in effect the same? ("Women can't write, women can't paint..." ) And the way time passes over everything like a cloud, and solid objects flicker and dissolve? And the way Lily's picture of Mrs Ramsay - incomplete, insufficient, doomed to be stuck in an attic - becomes, as she adds the one line that ties it all together at the end, the book we've just read?
adicionado por davidcla | editarThe Guardian, Margaret Atwood (Sep 7, 2002)
 
"To the Lighthouse" has not the formal perfection, the cohesiveness, the intense vividness of characterization that belong to "Mrs. Dalloway." It has particles of failure in it. It is inferior to "Mrs. Dalloway" in the degree to which its aims are achieved; it is superior in the magnitude of the aims themselves. For in its portrayal of life that is less orderly, more complex and so much doomed to frustration, it strikes a more important note, and it gives us an interlude of vision that must stand at the head of all Virginia Woolf's work.
 

» Adicionar outros autores (55 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Woolf, Virginiaautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Alfsen, MereteTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Öncül, Naciye Aksekiautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Bell, QuentinIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Bertolucci, AttilioPrefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Bradbury, NicolaIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Bradshaw, DavidEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Briggs, JuliaIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Carabine, KeithEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Celenza, GiuliaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dop, Jo FiedeldijTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Drabble, MargaretEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dunmore, HelenIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Fastrová, JarmilaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Fiedeldij Dop, JoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Fischer, PaulArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Foa, MaryclareIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Fusini, Nadiaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hoare, D.M.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hoffman, AliceIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Holliday, TerenceIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kaila, KaiTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kidman, NicoleNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lanoire, MauriceTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Law, PhyllidaNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lee, HermioneIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Malago, Anna LauraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Matar, Hishamautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Mathias, RobertDesigner da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
McNichol, StellaEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Munck, IngalisaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Nathan, Moniqueautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pellan, FrançoiseTraductionautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Phelps, GilbertIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Richards, CeriArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Ryall, AnikaPrefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Stevenson, JulietNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Valentí, HelenaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Welty, EudoraIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Zazo, Anna LuisaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Lugares importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Eventos importantes
Filmes relacionados
Premiações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
"Yes, of course, if it's fine tomorrow," said Mrs. Ramsay. "But you'll have to be up with the lark," she added.
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
She was thinking how all those paths and the lawn, tick and knotted with the lives they had lived there, were gone: were rubbed out; were past; were unreal, and now this was real
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Aviso de desambiguação
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Idioma original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
CDD/MDS canônico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

To the Lighthouseis at once a vivid impressionist depiction of a family holiday, and a meditation on a marriage, on parenthood and childhood, on grief, tyranny and bitterness. Its use of stream of consciousness, reminiscence and shifting perspectives, give the novel an intimate, poetic essence, and at the time of publication in 1927 it represented an utter rejection of Victorian and Edwardian literary values.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Links rápidos

Capas populares

Avaliação

Média: (3.88)
0.5 16
1 90
1.5 15
2 164
2.5 36
3 489
3.5 107
4 789
4.5 120
5 903

Penguin Australia

3 edições deste livro foram publicadas por Penguin Australia.

Edições: 0141183411, 0141194812, 0141198516

Urban Romantics

2 edições deste livro foram publicadas por Urban Romantics.

Edições: 1909175676, 190917548X

É você?

Torne-se um autor do LibraryThing.

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 157,172,515 livros! | Barra superior: Sempre visível