Página inicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquise No Site
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

Carregando...

The Seven Against Thebes

de Aeschylus

Outros autores: Veja a seção outros autores.

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaMenções
239585,129 (3.42)11
The formidable talents of Anthony Hecht, one of the most gifted of contemporary American poets, and Helen Bacon, a classical scholar, are here brought to bear on this vibrant translation of Aeschylus' much underrated tragedy The Seven Against Thebes. The third and only remaining play in a trilogy dealing with related events, The Seven Against Thebes tells the story of the Argive attempt to claim the Kingdom of Thebes, and of the deaths of the brothers Eteocles and Polyneices, each by the others hand. Long dismissed by critics as ritualistic and lacking in dramatic tension, Seven Against Thebes is revealed by Hecht and Bacon as a work of great unity and drama, one exceptionally rich in symbolism and imagery.… (mais)
Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Veja também 11 menções

Exibindo 5 de 5
2016 (review can be found at the link - which is a LibraryThing page)
https://www.librarything.com/topic/220674#5618614
  dchaikin | Jun 21, 2020 |
I didn't really like this one. ( )
  DanielSTJ | Dec 24, 2018 |
Edition: // Descr: xii, 128 p. : map (1) 19 cm. // Series: Call No. { 882 A2 8 } With an Introduction and Notes by Isaac Flagg Contains Appendix. // //
  ColgateClassics | Oct 26, 2012 |
L'histoire, très connue, de la lutte entre Étéocle et Polynice n'est sans doute pas ce qui se prêtait le mieux à une production théâtrale antique. Il est quelque peu déconcertant, surtout pour un lecteur d'aujourd'hui (il n'est vrai que l’œuvre n'est évidemment pas conçue à son usage) de voir cette histoire à base combat entre sept paires de héros extraordinaires se tapant dessus avec des grosses lances sous la forme d'un dialogue entre deux bonshommes racontant l'action censée se produire quelque part ailleurs. Pour tout dire, cela fait penser aux méta-récits idiots et inutiles qui encadraient presque tous les romans du grand siècle au naturalisme.

De fait, quoique la pièce soit destinée à être jouée d'une traite, il faut bien supposer des ellipses implicites entre les différents dialogues pour que l'action décrite ait le temps de se dérouler. Ces ruptures sont marquées symboliquement par des déclamations du chœur sur les malheurs d'une cité vaincue, qui dépassent clairement le récit de cette seule guerre fratricide. Savez-vous d'ailleurs que CONTEXTE DE LA PIÈCE ? Mais il y a aussi de l'universel là-dedans. L'avertissement liminaire à Antigone que "cruels sont souvent les peuples après de grands malheurs" trouve un écho évident dans une histoire autrement plus récente, voire dans un futur de plus en plus imminent.

L'éditeur, ici, a lardé la partie française d'indication scéniques parfois très spécifiques qui n'apparaissent pas dans le texte grec. Soit elles sont dans les sources, et alors on se demande bien pourquoi les avoir omis d'un côté ; soit, ce qui est beaucoup plus probable, elles n'y sont pas, et il est alors pour le moins cavalier de les ajouter dans le texte même, sans même une note pour préciser leur caractère conjectural. ( )
  Kuiperdolin | Aug 5, 2012 |
Exibindo 5 de 5
sem resenhas | adicionar uma resenha

» Adicionar outros autores (19 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Aeschylusautor principaltodas as ediçõescalculado
Bayfield, M.A.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Groeneboom, P.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Italie, G.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Morshead, E. D. A.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Verrall, A. W.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Wecklein, N.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Lugares importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Eventos importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Filmes relacionados
Premiações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
You citizens of Cadmus, he must speak home/ that in the ship's prow watches the event/ and guides the rudder, his eye not drooped in sleep. - (tr. Grene, 1956)
Citações
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Aviso de desambiguação
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Idioma original
CDD/MDS canônico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (1)

The formidable talents of Anthony Hecht, one of the most gifted of contemporary American poets, and Helen Bacon, a classical scholar, are here brought to bear on this vibrant translation of Aeschylus' much underrated tragedy The Seven Against Thebes. The third and only remaining play in a trilogy dealing with related events, The Seven Against Thebes tells the story of the Argive attempt to claim the Kingdom of Thebes, and of the deaths of the brothers Eteocles and Polyneices, each by the others hand. Long dismissed by critics as ritualistic and lacking in dramatic tension, Seven Against Thebes is revealed by Hecht and Bacon as a work of great unity and drama, one exceptionally rich in symbolism and imagery.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Links rápidos

Capas populares

Avaliação

Média: (3.42)
0.5
1 1
1.5
2 2
2.5 2
3 17
3.5 2
4 8
4.5
5 6

É você?

Torne-se um autor do LibraryThing.

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 157,836,429 livros! | Barra superior: Sempre visível