Página inicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

Carregando...

O Nome da Rosa (1980)

de Umberto Eco

Outros autores: Veja a seção outros autores.

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaConversas / Menções
16,967263211 (4.2)4 / 986
In 1327, finding his sensitive mission at an Italian abbey further complicated by seven bizarre deaths, Brother William of Baskerville turns detective.
  1. 243
    O Pêndulo de Foucaul de Umberto Eco (ehines, hankreardon, Sensei-CRS)
    ehines: Surprised not to find this way up on Name of the Rose's rec list. FP is a much more recent period piece--the period is marked by 1968 as Name of the Rose's is marked by the emergence of the Franciscans. Well done look at the conspiratorial mindset.
  2. 101
    Dissolução de C. J. Sansom (Caramellunacy)
    Caramellunacy: Both feature ghastly murders in a monastery in a time of religious conflict and turmoil. The Name of the Rose (medieval Italy) is more philosophical, while Dissolution (Tudor England) is more of a straight-forward historical mystery. Both offer interesting insights into the political and religious issues of the times.… (mais)
  3. 113
    The Key to The Name of the Rose: Including Translations of All Non-English Passages de Adele J. Haft (Taphophile13)
  4. 81
    Baudolino de Umberto Eco (aces)
  5. 82
    The Club Dumas de Arturo Pérez-Reverte (mrcmrc)
  6. 71
    The Quincunx de Charles Palliser (Booksloth)
  7. 82
    O círculo da cruz de Iain Pears (Booksloth)
  8. 74
    My Name Is Red de Orhan Pamuk (adithyajones, IamAleem)
    adithyajones: Both of them are historical mystery fiction but both are not plain vanilla whodunits rather serious books which looks at the life at that time in minute detail
  9. 74
    The Secret History de Donna Tartt (girlunderglass)
    girlunderglass: Two words: mystery + learned men (in The Name of the Rose, scholars of ecclesiastical books, in TSH of ancient Greek books)
  10. 31
    Fictions de Jorge Luis Borges (Oct326)
    Oct326: C'è molto Borges nel "Nome della Rosa". Se qualcuno ha letto il secondo ma non il primo, sarebbe un'ottima idea leggere "Finzioni": vi (ri)troverà la biblioteca labirintica, le disquisizioni teologiche, l'inchiesta con la falsa pista, e altri motivi che hanno mirabilmente (mi vien da dire: vertiginosamente) ispirato Eco.… (mais)
  11. 10
    Possession: A Romance de A. S. Byatt (KayCliff)
    KayCliff: Both books are cited by Michael Dirda as examples of antiquarian romance.
  12. 11
    Shadow & Claw: The First Half of The Book of the New Sun de Gene Wolfe (LamontCranston)
  13. 00
    Headlong de Michael Frayn (KayCliff)
    KayCliff: Both books are cited by Michael Dirda as examples of antiquarian romance.
  14. 11
    Zwischen Utopie und Wirklichkeit: Konstruierte Sprachen für die globalisierte Welt de Jennifer Bretz (gangleri)
  15. 00
    The Secret Supper de Javier Sierra (Limelite)
    Limelite: Two clerics sent to investigate mysterious and secretive goings on in abbeys find death and revelation as they successfully untangle and avert the web of church politics and conflicts over man's greatest artistic and literary heritage.
  16. 22
    Doctor Mirabilis de James Blish (bertilak)
    bertilak: Both books have subplots about the controversial teachings of Joachim of Fiore.
  17. 22
    Ex-Libris de Ross King (roby72)
  18. 11
    The Athenian murders de José Carlos Somoza (Booksloth)
  19. 11
    Interred with Their Bones de Jennifer Lee Carrell (KayCliff)
  20. 11
    A Time to Keep Silence de Patrick Leigh Fermor (Laura400)
    Laura400: A brief book that relates this 20th Century author's travels to four monasteries, including extended stays in two French Benedictine monasteries. It is not a mystery or a book like "The Name of The Rose." But it is a nice meditation on a way of life that appears nearly unchanged over the centuries.… (mais)

(ver todas 29 recomendações)

1980s (2)
Europe (182)
Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

Inglês (197)  Espanhol (18)  Italiano (16)  Francês (9)  Alemão (5)  Holandês (5)  Catalão (3)  Sueco (2)  Dinamarquês (2)  Português (Portugal) (2)  Português (1)  Português (Brasil) (1)  Todos os idiomas (261)
CX16
  Taddone | Nov 25, 2019 |
The Name of the Rose is a monumental exercise in mystification by a fun-loving scholar.
adicionado por Shortride | editarTime, Patricia Blake (Jun 13, 1983)
 
One may find some of the digressions a touch self-indulgent... yet be carried along by Mr. Eco's knowledge and narrative skills. And if at the end the solution strikes the reader as more edifying than plausible, he has already received ample compensation from a richly stocked and eminently civilized intelligence.
 
The Jesuits didn’t exist in William of Baskerville’s time, but – learned in Aquinas and Aristotle and prepared to use the empirical techniques of Roger Bacon – William would make a very good English Jesuit. Although in orders, he lacks the rotundity, Wildean paradoxicality and compassion of Father Brown, but clearly Dr Eco knows his Chesterton. Theology and criminal detection go, for some reason, well together...

I probably do not need to recommend this book to British readers. The impetus of foreign success should ensure a large readership here. Even Ulster rednecks, to say nothing of mild Anglicans who detest Christianity cooking with garlic, will feel comforted by this image of a secure age when there was an answer to everything, when small, walled society could be self-sufficient, and the only pollution was diabolic. Patriots will be pleased to find such a society in need of British pragmatism.
adicionado por SnootyBaronet | editarObserver, Anthony Burgess
 

» Adicionar outros autores (41 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Eco, Umbertoautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Alexanderson, EvaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Čale, MoranaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Buffa, AiraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Frýbort, ZdenìkTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Jason, NevilleNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Middelthon, CarstenTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pochtar, RicardoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
SanjulianArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Schifano, Jean-NoëlTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tuin, JennyTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Velthoven, Th. vanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vlot, HennyTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Voogd, Pietha deTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Weaver, WilliamTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Костюкович… ЕленаTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Lugares importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Eventos importantes
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Premiações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
In the beginning was the Word and the Word was with God, and the Word was God.
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Books are not made to be believed, but to be subjected to inquiry. When we consider a book, we mustn’t ask ourselves what it says but what it means.
There are magic moments, involving great physical fatigue and intense motor excitement, that produce visions of people known in the past. As I learned later from the delightful little book of the Abbé de Bucquoy, there are also visions of books as yet unwritten.
not infrequently, books speak of books: it is as if they spoke among themselves.
I have seen many other fragments of the cross in other churches. If all were genuine, our Lord’s torment could not have been on a couple of planks nailed together, but on an entire forest.
In my country [Austria], when you joke you say something and then you laugh very noisily so everyone shares in your joke. William [a Briton] laughed only when he said serious things, and remained very serious when he was presumably joking.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Aviso de desambiguação
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Idioma original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
CDD/MDS canônico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (1)

In 1327, finding his sensitive mission at an Italian abbey further complicated by seven bizarre deaths, Brother William of Baskerville turns detective.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Links rápidos

Capas populares

Avaliação

Média: (4.2)
0.5 5
1 40
1.5 13
2 103
2.5 24
3 394
3.5 135
4 1283
4.5 253
5 1519

É você?

Torne-se um autor do LibraryThing.

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 155,819,528 livros! | Barra superior: Sempre visível