Página inicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquise No Site
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

Carregando...

We Should All Be Feminists

de Chimamanda Ngozi Adichie

Outros autores: Veja a seção outros autores.

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaMenções
4,0081733,050 (4.25)175
In this essay -- adapted from her TEDx talk of the same name -- Chimamanda Ngozi Adichie, award-winning author of Americanah, offers readers a unique definition of feminism for the twenty-first century, one rooted in inclusion and awareness. Drawing extensively on her own experiences and her understanding of the often masked realities of sexual politics, here is one remarkable author's exploration of what it means to be a woman now -- and an of-the-moment rallying cry for why we should all be feminists.… (mais)
Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Veja também 175 menções

Inglês (166)  Italiano (3)  Holandês (2)  Todos os idiomas (171)
Mostrando 1-5 de 171 (seguinte | mostrar todas)
An essay I’ve been wanting to read for a while that found ways to talk about gender in ways I’ve heard before, but made it more understandable and approachable. ( )
  clougreen | Apr 26, 2024 |
Review soon. ( )
  buddhawithan.n | Feb 29, 2024 |
not enough depth. Why are we where we are? What are the mechanisms that support inequality? I want to udnderstand ( )
  rubyman | Feb 21, 2024 |
Huh, I honestly thought this was a full book. Apparantly it was a TED talk?
Anyway, Adichie uses refreshingly direct language and really cuts into the heart of the matter. I haven't read anything else by her yet so I don't know if this is an affectation to make her essay more accessible or if this is her natural style. If it's the latter then I'll bump [b:Americanah|15796700|Americanah|Chimamanda Ngozi Adichie|https://images.gr-assets.com/books/1356654499s/15796700.jpg|21519538] to the top of my to reads list. ( )
  ethorwitz | Jan 3, 2024 |
So on point! 💓 ( )
  decaturmamaof2 | Nov 22, 2023 |
Mostrando 1-5 de 171 (seguinte | mostrar todas)
sem resenhas | adicionar uma resenha

» Adicionar outros autores (16 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Adichie, Chimamanda Ngoziautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Spinelli, FrancescaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Wong, JoanDesigner da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Lugares importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Eventos importantes
Filmes relacionados
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Introduction
This is a modified version of a talk I delivered in December 2012 at TEDxEuston, a yearly conference focused on Africa.
Okoloma was one of my greatest childhood friends.
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
These are little things, but sometimes it is the little things that sting the most.
Masculinity is a hard, small cage, and we put boys inside this cage.
But by far the worst thing we do to males—by making them feel they have to be hard—is that we leave them with very fragile egos. The harder a man feels compelled to be, the weaker his ego is.

And then we do a much greater disservice to girls, because we raise them to cater to the fragile egos of males.
The problem with gender is that it prescribes how we should be rather than recognizing how we are. Imagine how much happier we would be, how much freer to be our true individual selves, if we didn't have the weight of gender expectations.
For centuries, the world divided human beings into two groups and then proceeded to exclude and oppress one group. It is only fair that the solution to the problem acknowledge that.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Aviso de desambiguação
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Idioma original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
CDD/MDS canônico
LCC Canônico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (1)

In this essay -- adapted from her TEDx talk of the same name -- Chimamanda Ngozi Adichie, award-winning author of Americanah, offers readers a unique definition of feminism for the twenty-first century, one rooted in inclusion and awareness. Drawing extensively on her own experiences and her understanding of the often masked realities of sexual politics, here is one remarkable author's exploration of what it means to be a woman now -- and an of-the-moment rallying cry for why we should all be feminists.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Current Discussions

Nenhum(a)

Capas populares

Links rápidos

Avaliação

Média: (4.25)
0.5
1 3
1.5
2 22
2.5 6
3 126
3.5 34
4 344
4.5 25
5 446

É você?

Torne-se um autor do LibraryThing.

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 206,050,426 livros! | Barra superior: Sempre visível