Página inicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Este site usa cookies para fornecer nossos serviços, melhorar o desempenho, para análises e (se não estiver conectado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing, você reconhece que leu e entendeu nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade . Seu uso do site e dos serviços está sujeito a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados do Google Livros

Clique em uma foto para ir ao Google Livros

Carregando...

Crime e Castigo (1866)

de Fyodor Dostoevsky

Outros autores: Veja a seção outros autores.

MembrosResenhasPopularidadeAvaliação médiaConversas / Menções
36,33341338 (4.25)2 / 936
Determined to overreach his humanity and assert his untrammelled individual will, Raskolnikov, an impoverished student living in the St. Petersburg of the Tsars, commits an act of murder and theft and sets into motion a story which, for its excrutiating suspense, its atmospheric vividness, and its profundity of characterization and vision, is almost unequaled in the literatures of the world. The best known of Dostoevsky's masterpieces, Crime and Punishment can bear any amount of rereading without losing a drop of its power over our imagination.… (mais)
  1. 220
    O Idiota de Fyodor Dostoyevsky (PrincessPaulina, zasmine)
    PrincessPaulina: "The Idiot" is overlooked compared to Dostoevsky's other work, but in my opinion it's the most engaging. Deals with upper crust society in pre-revolutionary Russia
    zasmine: For more of his social dissection
  2. 191
    Ana Karênina de Leo Tolstoy (Booksloth)
  3. 193
    O Processo de Franz Kafka (SanctiSpiritus, Kantar)
  4. 164
    O Estrangeiro de Albert Camus (chrisharpe, DLSmithies)
    DLSmithies: A compare-and-contrast exercise - Raskolnikov is all nervous energy and hypertension, whereas Meursault is detatched, calm, and won't pretend to feel remorse. Two masterpieces.
  5. 103
    Memórias do Subsolo de Fyodor Dostoyevsky (SanctiSpiritus, Kantar)
  6. 51
    Hunger de Knut Hamsun (ateolf)
  7. 51
    The White Tiger de Aravind Adiga (infiniteletters)
  8. 51
    The Man Without Qualities: A Sort of Introduction; Pseudo Reality Prevails {Vol. 1 of 2} de Robert Musil (ateolf)
  9. 87
    The Tell-Tale Heart and Other Writings [Bantam Classics] de Edgar Allan Poe (GCPLreader)
  10. 22
    The Lost Highway de David Adams Richards (figsfromthistle)
    figsfromthistle: Both novels show the unravelling of the human conscience and the lengths the main protagonists go to convince themselves that their crime was necessary.
  11. 22
    Herzog de Saul Bellow (SanctiSpiritus)
  12. 610
    O Perfume - A História de um Assassino de Patrick Süskind (klerulo)
    klerulo: Both these works attempt to get inside the head of singularly amoral sociopathic murderers.
Wanted (2)
Carregando...

Registre-se no LibraryThing tpara descobrir se gostará deste livro.

» Veja também 936 menções

Inglês (356)  Espanhol (16)  Italiano (7)  Finlandês (5)  Francês (4)  Holandês (4)  Catalão (4)  Alemão (4)  Dinamarquês (3)  Português (2)  Sueco (1)  Tagalo (1)  Tcheco (1)  Todos os idiomas (408)
Mostrando 1-5 de 408 (seguinte | mostrar todas)
Date approximate ( )
  fmc712 | Feb 18, 2021 |
I know several people who have raved about (and therefore, insisted I read) this book for years. Perhaps that is the problem. I went into it with high expectations, despite having read and hated his "Notes fro the Underground." I have no particular complaint or even strong feelings about the book; it was just sort of okay for me. ( )
  GiGiGo | Feb 5, 2021 |
After 40 years of owning the books and 5 days of reading I can now honestly say not only have I read Crime and Punishment, but I enjoyed it very much. I found it an interesting literary explanation of the society of St Petersburg in the mid to late 1800s when St Petersburg was the capital of Russia. it is sad to realise that so many of the themes are still common today, Undiagnosed mental illness, poverty, homelessness, debt, gambling addictions, anarchy, predators of women and children, the only thing unmentioned is homosexuality. The main character is Raskolnikov, who believes he has planned the perfect crime with his intention of murdering an old woman who is a money-lender. The pathology of Raskolnikov's mental health includes bi-polar, mania, probably anxiety enough for a school of psychologists to work with. He is also described as a hypochondriac, and may well have been by the definition of the day, but not by today's standards for he is not a malingerer, he is severely depressed, failing to eat for day on end,quitting university, pushing away people who want to help him, yet at the same time, he tries to help the most destitute of individuals even giving away money his mother has given him, to a widow with three children and a step daughter so that the widow can giver her husband a proper funeral. Underneath the character of Raskolnikov is an educated and kind man trying to get out. He is surrounded by scoundrels who use their comparative wealth to impress those around them especially the poor, and who use their wealth as 'evidence' of their moral character as they so believe themselves to have. Again, 200 years have passed and not a lot has changed, and of all the themes of Crime and Punishment, this, I think the writer would be horrified to discover. Recommended for a holiday read - really, you the reader will look super intelligent and you will gain tremendous insights into humanity. ( )
  nadineeg | Jan 19, 2021 |
I read this in high school and then again shortly after college, but it's been a couple of decades. I saw this new translation in the new books section of my library and picked it up to revisit the classic. I liked the translation. It was very accessible and for better or for worse felt fairly contemporary. I think it conveyed some of the madcap mayhem of some of the scenes (e.g. the funeral dinner) better than I recall drier translations I had read in the past doing. The translator purports to try to offer a variety of voices to match what Dostoevsky did, and I feel like he accomplished this; my sense is that he does so better than what I've read in past translations, but the passage of time may be playing tricks on me there. The story does drag a bit, especially in some of the more psychological passages, and I had forgotten how much (or maybe this translation simply highlighted) I liked some of the later passages involving Sonya, Svidrigaylov, and Razumikhin. I'm glad to've revisited the book and am also glad to have its 604 pages behind me. ( )
  dllh | Jan 6, 2021 |
Me he sentido francamente desconcertado leyendo esta novela. Y es que las novelas de tesis me descolocan. Por momentos, no sabe uno si le están contando una historia o si le están soltando un sermón, o ambas cosas a la vez. Los personajes se entregan a largas parrafadas, consigo mismos o con otros, sobre esto y aquello, pero estos discursos se integran en una historia por lo demás bastante embrollada. Quiero decir que no son pegotes en absoluto. Imagino que se trata de explicar los motivos profundos que tienen los personajes principales para actuar como actúan, de indagar en su psicología y en su filosofía de vida para que los lectores nos hagamos preguntas: ¿por qué Napoleón, que envió a la muerte a millones de ciudadanos, es un heroe mientras que si yo mato solo a uno por motivos similares (para alcanzar la gloria, por ejemplo) soy un asesino? ¿Hay personas a las que se les debe perdonar todo? ¿El fin justifica los medios? Preguntas así planean contantemente por todo el libro.

Todo esto es bueno, incluso muy bueno. pero yo, humildemente, me he perdido en muchos momentos. No sé si es la enorme imaginación rusa para nombrar a las personas, o esa costumbre de meterse en cualquier casa sin llamar y hasta la mismísima cama (las puertas parecen estar siempre abiertas) o precisamente las parrafadas dando vueltas sin casi nunca afrontar directamente el tema. No sé, pero algo me ha desorientado. Debo decir que a partir del último tercio todo empieza a encajar mejor y uno empieza a ver el sentido de muchas cosas (y muchas palabras) anteriores, lo que ha animado mi espíritu. En fin, que no le quitaré méritos a la que pasa por ser una de las mejores novelas de la literatura universal, pero quizá es que Dostoievski me puede. Bueno, hay gente que dice que no le gusta el Quijote. Tiene que haber de todo.

Por cierto, la traducción pretende ser original, y utiliza palabras demasiado cotidianas para una novela del XIX, lo que hace que el lector piense en el traductor, y eso no es nada bueno. ( )
  caflores | Jan 3, 2021 |
Mostrando 1-5 de 408 (seguinte | mostrar todas)

» Adicionar outros autores (51 possíveis)

Nome do autorFunçãoTipo de autorObra?Status
Dostoevsky, Fyodorautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Björkegren, HansTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Borja, CorinneIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Borja, RobertIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Brockway, HarryIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Brodal, JanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Canon, Raymond R.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Coulson, JessieTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Eggink, ClaraEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Eichenberg, FritzIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Garnett, ConstanceTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Geier, SwetlanaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Guidall, GeorgeNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hoffmann, RichardTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hollo, J. A.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Jullian, PhilippeIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Katzer, JuliusTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Konkka, JuhaniTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kropotkin, AlexandraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kuukasjärvi, OlliTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Manger, HermienTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Meijer, JanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Meyer, PriscillaIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pampaloni, Genoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pevear, RichardTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Prina, SerenaEditor and Translatorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Ready, OliverTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Reedijk, LourensTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Rydelius, EllenTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Scammell, MichaelTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Volokhonsky, LarissaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vuori, M.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Pertence à série publicada

Você deve entrar para editar os dados de Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Compartilhado.
Título canônico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Lugares importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Eventos importantes
Filmes relacionados
Premiações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
On an exceptionally hot evening early in July a young man came out of the garret in which he lodged in S. Place and walked slowly, as though in hesitation, towards K. bridge. (Garnett translation)
Toward the end of a sultry afternoon early in July a young man came out of his little room in Stolyarny Lane and turned slowly and somewhat irresolutely in the direction of Kamenny Bridge. (Coulson translation)
On a very hot evening at the beginning of July a young man left his little room at the top of a house in Carpenter Lane, went out into the street, and, as though unable to make up his mind, walked slowly in the direction of Kokushkin Bridge.
At the beginning of July, during an extremely hot spell, towards evening, a young man left the closet he rented from tenants in S____y Lane, walked out to the street, and slowly, as if indecisively, headed for the K______n Bridge. (Pevear and Volokhonsky translation)
In het begin van juli, het was tegen de avond en bijzonder warm, verliet een jongeman het kamertje dat hij aan de S-steeg in onderhuur bewoonde, en begaf zich traag, besluiteloos bijna, in de richting van de K-brug.
Citações
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Clique para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Aviso de desambiguação
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
The original Russian title is “Преступление и наказание”.
Editores da Publicação
Autores Resenhistas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Idioma original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
CDD/MDS canônico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (1)

Determined to overreach his humanity and assert his untrammelled individual will, Raskolnikov, an impoverished student living in the St. Petersburg of the Tsars, commits an act of murder and theft and sets into motion a story which, for its excrutiating suspense, its atmospheric vividness, and its profundity of characterization and vision, is almost unequaled in the literatures of the world. The best known of Dostoevsky's masterpieces, Crime and Punishment can bear any amount of rereading without losing a drop of its power over our imagination.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo em haiku

Biblioteca Histórica: Fyodor Dostoyevsky

Fyodor Dostoyevsky tem uma Biblioteca Histórica. As bibliotecas históricas são bibliotecas privadas de leitores famosos introduzidas por membros do LibraryThing que integram o grupo Biblioteca Históricas.

Veja de Fyodor Dostoyevsky o perfil histórico.

Veja de a página de autor deFyodor Dostoyevsky.

Links rápidos

Capas populares

Avaliação

Média: (4.25)
0.5 10
1 98
1.5 11
2 220
2.5 62
3 807
3.5 178
4 2129
4.5 373
5 3397

Penguin Australia

2 edições deste livro foram publicadas por Penguin Australia.

Edições: 0451530063, 0140449132

Urban Romantics

Uma edição deste livro foi publicada pela Urban Romantics.

» Página Web de informação sobre a editora

Tantor Media

Uma edição deste livro foi publicada pela Tantor Media.

» Página Web de informação sobre a editora

Recorded Books

Uma edição deste livro foi publicada pela Recorded Books.

» Página Web de informação sobre a editora

 

Sobre | Contato | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blog | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Históricas | Os primeiros revisores | Conhecimento Comum | 155,742,217 livros! | Barra superior: Sempre visível