Picture of author.

Raquel Jaramillo

Autor(a) de Wonder

59+ Works 19,955 Membros 1,467 Reviews 3 Favorited

About the Author

R. J. Palacio is a graphic designer and book jacket designer. She is the author of Wonder, 365 Days of Wonder: Mr. Browne's Book of Precepts, and Auggie and Me: Three Wonder Stories. (Bowker Author Biography)

Séries

Obras de Raquel Jaramillo

Wonder (2012) 14,309 cópias
Auggie & Me: Three Wonder Stories (2015) 1,687 cópias
We're All Wonders (2017) 1,401 cópias
White Bird: A Wonder Story (2019) 571 cópias
Pony (2021) 295 cópias
Shingaling a wonder story (2015) 129 cópias
Pluto: A Wonder Story (2015) 98 cópias
White Bird (2020) 17 cópias
The Wonder Journal (2015) 12 cópias
Pájaro blanco / White Bird (2020) 8 cópias
Cudowny chlopak (2017) 4 cópias
Bobo Glove and Book (2008) 3 cópias
Pónei (Portuguese Edition) (2021) 2 cópias
Somos Todos Milagres (2017) 2 cópias
LA LECCION DE AUGUST (2019) 2 cópias
Nishanty 2 cópias
Book 2 cópias
Poni (edició en català) (2022) 1 exemplar(es)
Rhyfeddod (2022) 1 exemplar(es)
Wonder. White bird. Ediz Italiana (2024) 1 exemplar(es)
Wonder. Ediz. speciale 10 anni (2023) 1 exemplar(es)
Pony - R.J. Palacio [KSIĄŻKA] (2023) 1 exemplar(es)
Mucize ve Ben (2017) 1 exemplar(es)
Az igazi csoda (2018) 1 exemplar(es)
O Capítulo do Julian (2014) 1 exemplar(es)
Wir sind alle ein Wunder (2017) 1 exemplar(es)
Wonder Wall Calendar 2018 (2017) 1 exemplar(es)
WONDER 3. EL JUEGO DE CHRISTOPHER (2022) 1 exemplar(es)
MREKULLIA 1 exemplar(es)
Pony UKRAINIAN 1 exemplar(es)
Were all wonders 1 exemplar(es)

Associated Works

Peter Pan (1934) — Ilustrador, algumas edições19,121 cópias
Pardonable Lies (2005) — Designer da capa, algumas edições2,351 cópias
Messenger of Truth (2006) — Designer da capa, algumas edições1,939 cópias
An Incomplete Revenge (2008) — Designer da capa, algumas edições1,809 cópias
Software (1982) — Artista da capa, algumas edições984 cópias
A Great Improvisation: Franklin, France, and the Birth of America (2005) — Designer da capa, algumas edições825 cópias
Dave Barry's Bad Habits : A 100% Fact-Free Book (1985) — Designer da capa, algumas edições745 cópias
Project Orion: The True Story of the Atomic Spaceship (2002) — Designer da capa, algumas edições305 cópias
Wonder [2017 film] (2017) — Autor — 187 cópias
The Handiest Things in the World (2010) — Fotógrafo — 98 cópias
The Creativity Project: An Awesometastic Story Collection (2018) — Contribuinte — 98 cópias
The Hero Next Door (2019) — Contribuinte — 90 cópias
Lost Battalions (2005) — Designer da capa, algumas edições86 cópias
The Notebooks of Frank Herbert's Dune (1988) — Ilustrador — 70 cópias
Last Train to Toronto: A Canadian Rail Odyssey (1992) — Designer da capa, algumas edições34 cópias
The Night Before Christmas (Raquel Jaramillo) (2001) — Ilustrador — 14 cópias

Etiquetado

acceptance (424) adventure (283) British (185) bullying (597) children (448) children's (757) children's fiction (196) children's literature (401) classic (591) classics (617) disabilities (171) disability (264) ebook (186) England (450) family (359) fantasy (1,248) fiction (2,494) friendship (669) historical fiction (366) historical mystery (163) history (234) humor (259) kindness (336) literature (192) London (207) Maisie Dobbs (344) middle school (598) mystery (1,200) non-fiction (220) novel (256) Peter Pan (302) pirates (277) read (359) realistic fiction (460) school (226) science fiction (228) to-read (1,558) WWI (310) YA (240) young adult (378)

Conhecimento Comum

Membros

Resenhas

Quem conhece August Pullman nunca mais quer saber de ser igual a todo mundo.
Auggie, como costuma ser chamado é uma incrível criança que nasceu com uma anomalia que deformou seu rosto. A vida do menino não é nada fácil, mas desde que começou a frequentar a escola, as coisas têm se tornado mais difíceis. O bullying está presente no cardápio diário de Auggie e todos querem distância no menino deformado.
Por outro lado, Auggie tem uma família maravilhosa e que o ama muitíssimo. Os pais e Auggie o educaram muito bem e colaboraram muito para que ele se tornasse tão forte.
A obra trabalha cada personagem com a exclusividade que cada um merece, mas sempre relacionando-os com a vida de Auggie.
A trama é extremamente comovente e muito, muuuuuuuito educativa. O menino August tem a missão de enfrentar a doença e ainda fazer com que as pessoas a sua volta o aceitem. Nada fácil, não é mesmo?
A história é narrada pelo ponto de vista do menino, e esse é o elemento mais precioso do livro, pois através da ótica de Auggie, é possível sentir com mais intensidade seus conflitos, seu sofrimento, suas alegrias e suas conquistas. A palavra EXTRAORDINÁRIO, originalmente, significa que algo está fora de ordem, assim como a face de Auggie. Mas ela também pode ter o significado que algo não é comum, e esse menino incrível se encaixa perfeitamente no segundo significado, pois não é sua doença que o diferencia dos outros, e sim suas perspectivas, seus sonhos, sua garra, em fim, seu jeito simplesmente extraordinário de viver e enxergar o mundo. Ao longo da história, a resistência de August Pullman é evidente e ele torna-se um menino ainda mais forte, e que aprendeu a se amar e aceitar as diferenças.
Quem permite que Auggie passe por sua vida, jamais o esquecerá.
Essa história mexeu muito comigo e mudou meu jeito de olhar para o próximo, pois não importa o quanto somos diferentes e o que nos torna singulares, o mais importante sempre será o respeito recíproco uns para com os outros e a vontade de viver.
Não preciso dizer que esse é um dos meus livros preferidos né? Foi o primeiro livro de 2016 e eu não poderia ter feito escolha melhor.
… (mais)
 
Marcado
Kamibarb | outras 1,251 resenhas | Oct 3, 2023 |
Pág. 72
Seus feitos são seus monumentos.
(...)
Esse preceito significa que deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como os monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíram para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. Construídos com memórias em vez de pedra.

Pág. 136
- Você às vezes se pergunta o que acontece com as pessoas quando elas morrem?
Ele encolheu os ombros.
- Na verdade, não. Quer dizer, elas não vão pra o céu? Minha avó foi para lá.
- Eu penso muito nisso - falei. - Acho que quando as pessoas morrem a alma vai para o céu, mas só por um tempinho. Tipo, é lá que elas reencontram os amigos e falam sobre os velhos tempos. Então acho que as almas começam a pensar na vida que tiveram na Terra, tipo, se foram boas ou más, e coisas assim. Então nascem de novo como bebezinhos.
- Por que elas iriam querer fazer isso?
- Porque assim teriam outra chance de fazer tudo certo - respondi. - As almas tem uma chance de consertar as coisas.
Ele pensou e assentiu.
- Meio como quando você faz uma segunda chamada de prova - comentou.

Pág. 200
Estou recitando: sim, o sol nasceu milhares de vezes. Verões e invernos fenderam um pouco mais as montanhas e as chuvas fizeram deslizar a terra. Bebês que antes nem eram nascidos já começaram a formar frases completas; e muitas pessoas que se achavam jovens e ágeis notaram que já não podiam subir um lance de escadas como antes, sem que o coração disparasse um pouco...

Pág. 301
Estamos aqui reunidos hoje - continuou -, seus parentes, amigos e professores, para celebrar não só suas conquistas desde último ano, mas suas infinitas possibilidades. Quando refletirem sobre este ano, quero que vejam onde estão agora e onde estiveram antes. Todos ficaram um pouco mais altos, um pouco mais fortes, um pouco mais inteligentes... Espero.
Algumas pessoas da plateia riram.
- Mas a melhor maneira de medir quanto vocês cresceram não é por centímetros, nem por quantas voltas conseguem dar na piscina, ou mesmo por sua média de notas, embora essas coisas, sem dúvida, sejam importantes. A melhor medida é o que vocês fizeram com o seu tempo, como escolheram passar os dias e quem cativaram. Para mim, essa é a melhor medida do sucesso. Há uma frase maravilhosa em um livro de J. M. Barrie... E não, não é Peter Pan, e não vou pedir que batam palma se acreditam em fadas....
Todos riram mais uma vez.
- Mas em outro livro de J. M. Barrie, chamado 'O Pequeno Pássaro Branco' ele escreve... - O sr. Buzanfa começou a folhear um pequeno livro até encontrar a página que estava procurando, e encaro voltou a por os óculos. - "Vamos criar uma nova regra de vida... Sempre tentar ser um pouco mais gentil que o necessário?"
Então ele olhou para a plateia.
- "Mais gentil que o necessário" - repetiu. - Que frase maravilhosa, não é? Mais gentil que o necessário. Porque não basta ser gentil. Devemos ser mais gentis do que precisamos. Adoro essa frase, essa ideia, porque ela me lembra que carregamos conosco, como seres humanos, não apenas a capacidade de ser gentil, mas a opção da gentileza. O que isso significa? Como isso é medido? Não podemos usar uma régua. É como eu estava dizendo antes: a questão não é medir quanto vocês cresceram este ano. Não dá para quantificar com precisão, não é? O que é ser gentil, a propósito?
Ele pôs os óculos de novo e começou a folhear outro livrinho.
- Aqui está mais uma passagem, de um outro livro, que gostaria de compartilhar com vocês. Se tiverem a gentileza de esperar enquanto procuro... ah, aqui está. Em 'Under the eye of the clock, de Christopher Nolan, o personagem principal é um jovem que está enfrentando desafios extraordinários. Há uma parte em que alguém o ajuda: um garoto da mesma turma. Aparentemente, é um gesto pequeno. Mas, para o jovem, chamado Joseph, é... Bem, se me permitem...
Re pigarreou para limpar a garganta e leu:
- "Era em momentos como aquele que Joseph reconhecia a face de Deus em forma humana. Cintilava para ele em sua gentileza, brilhava em sua solidariedade, mostrava-se em sua preocupação, até mesmo o afogava em seu olhar."
Ele fez uma pausa e mais uma vez tirou os óculos.
- "Cintilava pra ele em sua gentileza" - repetiu, sorrindo. - Uma coisa tão simples, a gentileza. Tão simples. Uma palavra de incentivo quando precisamos. Um gesto de amizade. Um sorriso breve.
Ele fechou o livro e se inclinou para a frente no púlpito.
- Crianças, o que quero transmitir a vocês hoje é o entendimento do valor dessa coisa tão simples que se chama gentileza. É isso é tudo o que desejo deixar para vocês hoje. Sei que sou inflame por minha... Hum... Verborragia...
Todos riram de novo. Acho que ele sabia que era conhecido pelos longos discursos.
- ... Mas o que quero que vocês, meus alunos, levem de sua experiência no ensino fundamental - prosseguiu - é a certeza de que, no futuro que vão construir para si, tudo é possível. Se cada pessoa nesse auditório tomar por regra que, onde quer que esteja, sempre que puder, será um pouco mais gentil que o necessário, o mundo realmente será um lugar melhor. E, se fizerem isso, se forem apenas um pouco mais gentis que o necessário, alguém, em algum lugar, algum dia, poderá reconhecer vocês, em cada um de vocês, a face de Deus.
Ele fez uma pausa e encolheu os ombros.
- Ou seja qual for a representação politicamente correta de bondade em que acreditem - apressou-se em acrescentar com um sorriso, o que arrancou da plateia algumas risadas e muitos aplausos, sobretudo no fundo do auditório, onde os pais estavam sentados.

Pág. 304
- "A grandeza", escreveu Beecher, "não está em ser forte, mas no uso correto da força... Grande é aquele cuja força conquista mais corações... (...) Grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração."
… (mais)
1 vote
Marcado
Tatiana.Souza | outras 1,251 resenhas | Oct 5, 2015 |

Listas

Prêmios

You May Also Like

Associated Authors

Estatísticas

Obras
59
Also by
18
Membros
19,955
Popularidade
#1,085
Avaliação
4.1
Resenhas
1,467
ISBNs
368
Idiomas
27
Favorito
3

Tabelas & Gráficos